Edição 281
DESTAQUE

A investigação dos dermoglifos, possíveis marcas de ETs em humanos

Por
30 de Nov de 2020
O fenômeno, que recebeu o nome de dermoglifos, começou a ser notado por pessoas que acordavam com um enigmático desenho traçado na pele
Créditos: RAFAEL AMORIM, EXCLUSIVO PARA A REVISTA UFO

No início dos anos 2000 começaram a surgir os primeiros casos registrados de um intrigante fenômeno que desafia a imaginação de muita gente. O fenômeno, que recebeu o nome de dermoglifos, começou a ser notado por pessoas que, após uma noite normal de sono, acordavam com um enigmático desenho traçado em sua pele. As marcas eram percebidas quando as pessoas iam ao banheiro ou então notadas por outras pessoas, normalmente companheiros ou amigos que dormiam no mesmo quarto, e que nada viram durante a noite.

Algumas vezes as pessoas sentem algum ardor ou incômodo no local, e há casos em que nada de diferente foi sentido na pele, embora o enigmático desenho estivesse lá, indolor, inexplicável. O próximo passo é encontrar a origem de tal marca. A primeira ideia que vem à cabeça de quem experimentou o fenômeno é a de que havia dormido em cima de algum objeto que lhe marcou a pele, como um brinco, por exemplo, mas ao procurar por tal artefato, nada era encontrado.

Os indivíduos que passam por isso começam então a ter uma avalanche de ideias passando por suas cabeças, mas nenhuma delas explica de forma significativa o misterioso desenho que surgiu em seu corpo. Sem saber o que causou aquilo, as testemunhas partem para uma busca na internet, e então se deparam com dezenas de registros de casos que ocorreram não só no Brasil, mas no mundo inteiro.

A abdução e suas marcas

O fenômeno é mundial. Quando este pesquisador começou a estudar o caso das marcas, não encontramos registros em nosso país. Até que, no início de 2017, recebi o relato de uma advogada de Curitiba que acordou com um estranho padrão raiado em seu pescoço — a marca foi vista por seu companheiro e não a incomodava em nada. A advogada enviou fotos para a Equipe UFO e assim iniciamos a documentação do fenômeno no país.

Até o momento temos 49 marcas cadastradas em nosso banco de dados e, excetuando-se as marcas típicas de abduções alienígenas, a quase totalidade dos dermoglifos foi feita em mulheres — esse é um dado que nos faz pensar sobre o motivo para tal ocorrência. Acreditamos que o fenômeno ocorra mais em mulheres, mas ainda nos resta descobrir o real motivo por trás desse fato.


O fenômeno da abdução também costuma deixar diversos sinais de sua ocorrência, que vêm na forma de sonhos, flashes de memória, súbito interesse por Ufologia e por temas espaciais e pela noite estrelada. Contudo, uma das formas mais impactantes de seu acontecimento são as marcas que surgem no corpo após o evento. Normalmente, elas ocorrem durante a noite e são percebidas no dia seguinte, na hora do banho, ao se olhar no espelho ou então por um companheiro. Às vezes surgem após alguma ocorrência anômala no dia da testemunha.

TODO O CONTEÚDO DESTA EDIÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SITE 60 DIAS APÓS A MESMA SER RECOLHIDA DAS BANCAS

Marcados por extraterrestres

Já está no ar a Edição 281 da Revista UFO. Aproveite!

Nov de 2020

Fomos visitados